campo harmônico maior

6 – Formação do Campo Harmônico Maior

Compreender a formação do campo harmônico maior, poderá trazer inúmeras descobertas para você. Talvez você já toque inúmeras musicas, mas não consegue entender como os acordes se combinam entre si. Formar o campo harmônico te ajudará a entender justamente este processo. Mas antes de seguir, certifique-se que você está com os assuntos de intervalos e formação de acordes bem resolvidos na cabeça, ou do contrário poderá ficar com muitas dúvidas neste artigo.

Só lembrando que este conteúdo foi adaptado da apostila do meu Curso de Harmonia e Arranjo Para Violão. Este artigo ficou pequeno porque no curso a explicação é mais prática e está apresentada em vários vídeos.

Qualquer dificuldade deixe seu comentário ao final do artigo.

No final do Post tem dois vídeos para complementar ?

Introdução ao Campo Harmônico

A teoria harmônica se desenvolveu ao longo de séculos de prática musical. Aos poucos ela foi sendo deduzida a partir de inúmeros cruzamentos melódicos. Ao observarem as sonoridades obtidas, os compositores e músicos foram padronizando e criando fórmulas e clichês, onde pouco a pouco se estabeleceu estruturas organizadas verticalmente.

Aos pouco os acordes e seus movimentos (cadências) se determinaram como base para o desenvolvimento da harmonia. O primeiro tratado que oferece uma teoria para os acordes, foi escrito no século XVIII pelo francês Jean Philippe Rameau

A harmonia praticada e compreendida na música popular, advém da harmonia tradicional, no entanto devido a características próprias e até por questões de simplificações e adaptações práticas, ela adota interpretações próprias e simplifica a relação dos acordes de maneira verticalizada. Por exemplo, em harmonia funcional a condução das vozes perde significativamente importância, e o que passa a importar são as relações entre blocos sonoros verticalizados tecendo uma teia complexa de relação entre as tonalidades definidas pelas escalas e pelos acordes gerados através dos empilhamentos em terças. O que iremos aprender agora é justamente a forma como são gerados os acorde num contexto harmônico e diatônico. Chamamos este processo também de formação do campo harmônico

Neste primeiro estágio trabalharemos somente com a tonalidade maior. Só depois iremos para a tonalidade menor.

O processo de obtenção dos acordes diatônicos de uma escala é bem simples, no entanto para entendê-lo é necessário um bom domínio dos intervalos. Se você ainda não domina este assunto aconselho uma boa revisão.

Formação das Tríades Diatônicas

Cada acorde do campo harmônico maior é formado pela sobreposição em terças a partir de uma única escala. Logo, as diferente combinações de intervalos resultarão em diferentes tipos de acordes:

Tipos de tríades no Campo Harmônico: maior, menor e diminuta

Variação dos Intervalos dos acordes: terças maiores e menores e quintas justas e diminuta

6 - Formação do Campo Harmônico Maior | Violão Criativo

Gaus principais (I, IV e V)

6 - Formação do Campo Harmônico Maior | Violão Criativo

Estes três graus maiores são considerados os mais importantes por conterem neles todas as notas da escala. Por isso qualquer melodia diatônica pode ser harmonizadas somente utilizando estes graus.

Formação das Tétrades Diatônicas

O processo é o mesmo, porém acrescentando mais uma terça após a quinta o que gerará uma sétima.

Tipos de tétrades no Campo Harmônico: X7M, Xm7, X7 e Xm7(b5)

Variação dos Intervalos dos acordes: terças maiores e menores, quintas justas e diminuta e sétimas maiores e menores

6 - Formação do Campo Harmônico Maior | Violão Criativo
6 - Formação do Campo Harmônico Maior | Violão Criativo

Tabela completa do Campo Harmônico Maior

Campo Harmônico Maior Tabela

Veja também estes dois vídeos da série Guia de Harmonia Para Violão

Avatar
Escrito por
Mateus Bustamante
Junte-se à discussão

Obrigado pela visita!

Este site é fruto de uma busca incansável por um sentido maior na minha atividade de trabalho. Espero que encontre aqui conteúdos que o ajudem a avançar em seus sonhos!

Com carinho,

Mateus