Musicalidade e Talento | Violão Criativo

Musicalidade e Talento

Musicalidade nada tem a ver com dom. Você sabia? É muito comum a utilização deste termo para apontar um músico talentoso ou uma pessoa que possua facilidade para desenvolver habilidades musicais, sejam elas práticas ou interpretativas. É comum nos referirmos às qualidades artísticas e musicais de alguém utilizando o verbete: ”fulano é muito musical”.  Essa confusão entre talento e musicalidade não é rara.

Seria muito simplista limitar o significado da palavra musicalidade ao simples fato de que alguns possuem ou não facilidades musicais. Sabemos que a compreensão ainda é bastante restrita, o que torna ainda mais importante a reflexão e a tentativa de expandir o entendimento para outros significados.  Justamente por isso, antes de ligar uma coisa à outra, devemos considerar os fatores que tornam, para uma determinada pessoa, fácil ou difícil a compreensão dos inúmeros códigos e processos musicais.

Então, qual seria a diferença entre musicalidade e talento musical?
Musicalidade refere-se às questões da recepção musical no ambiente, dos sons que por nós são internamente relacionados e transformados em música. É algo universal, acessível a todos. Qualquer som pode ser musical desde que o ouvinte projete nele uma intenção musical e isso só é possível através da musicalidade. Sendo assim, qualquer pessoa comum pode ser musical, e o nível dessa musicalidade pode ser interpretada pela relação histórica, social e afetiva que cada um possui com a música. Já o talento, estaria mais relacionado ao desenvolvimento da musicalidade e ao trabalho educativo e sistematizado. Quando falamos de talento musical, entramos num campo bastante vasto que não pretendo desenvolver agora, pois cairíamos numa extensa discussão filosófica, onde teríamos que responder algumas perguntas, como: de onde vem o talento?  O que exatamente seria talento?  Por que algumas pessoas possuem dons ou talentos e outras não? Será que o fazer musical seria um privilégio de poucos? As tentativas de respostas para essas questões que sempre foram pensadas pela filosofia, agora ganham novos olhares. Estudos científicos sugerem que o dom, ou talento musical, pode na verdade estar diretamente ligado à genética, limitando então as possibilidades.

Se isso for verdade e comprovado, poderemos traçar um grande divisor entre os conceitos de musicalidade e de talento. Enquanto um pode ser para poucos, o outro está sem dúvida ao alcance de todos todos. Uma coisa é certa, independente do dom que alguém possa possuir para se tornar um grande virtuoso ou um gênio da composição, a experiência musical está ao acesso de todos. Aprender sobre música, entender suas relações e seu funcionamento, sentir, emocionar-se com ela e até mesmo desenvolver atividades musicais de forma consciente, é algo que independe de talento, pode ser experimentado por qualquer pessoa.

Avatar
Escrito por
Mateus Bustamante
Junte-se à discussão

Obrigado pela visita!

Este site é fruto de uma busca incansável por um sentido maior na minha atividade de trabalho. Espero que encontre aqui conteúdos que o ajudem a avançar em seus sonhos!

Com carinho,

Mateus